Monografia Probiótico - Dr. Eduardo Antonio André

Clique aqui para fazer o download da monografia completa.

 

 

 

Probióticos

 

Há vários séculos a utilização de probióticos baseia-se em propostas de aumento da longevidade e de um trato digestório saudável. O termo probiótico provem da língua grega, significando para vida e teve sua utilização a partir da década de 60. No início do século 20 surgiram sugestões de que as modificações da flora intestinal por bactérias adequadas, substituindo organismos prejudiciais à saúde, conceituam-se como probióticos.

 

A Organização Mundial da Saúde definiu probióticos como “organismos vivos que ao serem administrados em quantidades adequadas conferem benefícios à saúde do hospedeiro”.

 

Historicamente, credita-se a Elie Metchnikoff, russo ganhador do prêmio Nobel no início do século 20, a primeira publicação sobre probióticos onde descrevia maior longevidade dos indivíduos do leste europeu que tinham hábito de utilizar leite fermentado por bactérias ácido láticas. Responsabilizava, em sua teoria, que a produção de substâncias tóxicas no cólon, por agentes proteolíticos, colaboravam no processo de envelhecimento e que o consumo de leite fermentado recobriria a mucosa colônica com bactérias protetoras reduzindo o efeito danoso ao intestino, particularmente pela redução do pH intestinal, que suprimindo tais bactérias retardariam ou impediriam a proteólise por tais agentes, aumentando a longevidade.

 

Os probióticos constituem-se, em sua maioria, de bactérias ou brifas, contidos como microrganismos isolados ou associados. Os mais utilizados são provenientes de bactérias ácido láticas, principalmente Lactobacillus e Bifidobacterium, sendo importante ressaltar que seus efeitos são mais comumente estabelecidos por cepas determinadas de forma a reconhecer que benefícios de uma podem ser creditados a outras, mesmo quando de espécies únicas visto potenciais benefícios serem, comumente, individuais.

 

Princípios fundamentais para utilização de probióticos baseiam-se em que os mesmos sejam provenientes de cepas eficientes e seguras para seres humanos, que permaneçam viáveis pelo tempo preconizado para utilização e, principalmente, não possuam riscos de patogenicidade.

 

 

Clique aqui para ver as referências e a monografia completa.

Compartilhe
Twitter
Please reload

Please reload

Atendimento ao Médico Momenta
0800 703-1550

amo@momentafarma.com.br